Dieta


(2017)
Quem matou Roland Barthes?, Laurent Binet
Contemplação/O foguista, Kafka (contos Contemplação: Crianças na rua principal; Desmascaramento de um trapaceiro; O passeio repentino; Decisões; Excursão às montanhas; A infelicidade do celibatário; O comerciante; Olhar distraído para fora; O caminho de casa; Os que passam por nós correndo; O passageiro; Roupas; A recusa; Para meditação de grão-cavaleiros; A janela da rua; Desejo de se tornar índio; As árvores; Ser infeliz. Conto O foguista – que faz parte de O Desaparecido ou Amérika)
A montanha mágica, Thomas Mann
História do cerco de Lisboa, José Saramago
Claraboia, José Saramago
O conto da ilha desconhecida, José Saramago
Para onde foi o futuro?, Marc Auge
Contraponto, Aldous Huxley
Obras completas, Raduan Nassar (Lavoura arcaicaUm copo de cóleraMenina a caminho [Menina a caminho, Hoje de madrugada, O ventre seco, Aí pelas três da tarde, Mãozinhas de seda], “Safrinha” [Dois contos e um ensaio, O velho, Monsenhores], A corrente do esforço humano [ensaio])
Água viva, Clarice Lispector
O pensamento vivo de Montaigne, André Gide (Livraria Martins Editora/ Ed. da Usp)
Uma mulher, Péter Esterházy
Contos fluminensesMachado de Assis (Miss Dollar, Luís Soares, A mulher de preto, O segredo de Augusta, Confissões de uma viúva moça, Linha reta e linha curva, Frei Simão)
A tradução como manipulação, Cyril Aslanov
Nada de novo no front, Erich Maria Remarque
Um amor feliz, Wislawa Szymborska
Nós, Ievguêni Ivánovitch Zamiátin (1884-1937), terminou de escrever em 1920. Tradução de Gabriela Soares, copidesque de Lucas Simone. 1. ed., 2017. Aleph.
Fahrenheit 451, Ray Bradbury (1920-2012), publicado em 1953. Tradução de Cid Knipel. 2012. Globo.
Utopia, Thomas More (1478-1535), publicado em 1517, em latim. Edição bilíngue com tradução de Márcio Meirelles Gouvêa Júnior e revisão de tradução de Guilherme Gontijo Flores. Título original: De Optimo Rei publicae Statu deque Noua Insula Vtopia. 2017. Autêntica.
É isto um homem?, Primo Levi (1919-1987). Título original: Se questo è um uomo, publicado em 1958. 1988. Rocco.
O conto da aia, Margaret Atwood (1939, Ottawa, Canadá). Publicado em 1985. 2017. Rocco.
Deuses de pedra, Jeanette Winterson (1959).
Adam e Evelyn, Ingo Schulze (1962).
Teoria do romance, George Lukács (1885-1971). Tradução, posfácio e notas de José Marcos Mariani de Macedo. 2. ed., 2009, Editora 34/Duas Cidades (lidos: Prefácio do autor; I. As formas da grande épica em sua relação como caráter fechado ou problemático da cultura como um todo; lendo: II. Ensaios de uma tipologia da forma romanesca; a ser lido: Posfácio do tradutor)
O anjo da história, Walter Benjamin (1892-1940). Organização e tradução de João Barrento. 2. ed., 2013. Autêntica Editora (lidos: Sobre o conceito da História, Fragmento teológico-político, Fragmentos (filosofia da História e política); lendo: Anúncio da revista Angelus novus; a serem lidos: Destino e caráter, Sobre a crítica do poder como violência, Experiência e pobreza, Johann Jakob Bachofen, Teorias do fascismo alemão, Eduardo Fuchs, colecionador e historiador.

(2016)
A preparação do romance, v. 2, Roland Barthes
"A viagem de inverno", de Georges Perec (literatura)
Ciências morais, Martín Kohan
Truques da escrita, Howard S. Becker (não li inteiro - dicas boas para a escrita acadêmica, mas com muito "tique" da escrita norte-americana do estilo "how to do")
Vidas novas, Ingo Schulze – leitura incompleta
Se um viajante numa noite de inverno, Calvino (releitura)
Rumo ao farol, Virginia Woolf (*)
A colônia Cecília, Afonso Schmidt (biografia)
As cidades invisíveis, Ítalo Calvino (literatura) (*)
Sobre a escrita, a arte em memórias, Stephen King
A consciência das palavras, Elias Canetti (ensaios - literatura e política) (*)
Vozes de Tchernóbil: a história oral do desastre nuclear, Tsvetlana Aleksiévitch (*) (literatura? relato?)
No tempo das catástrofes, Isabelle Stengers (ensaios)
A vida longa dos vermes, Paulo Santoro
A invenção da cultura, de Roy Wagner (antropologia) (*)
Meus documentos, Alejandro Zambra (desisti da leitura no meio do livro...)
O caminho de Ida, Ricardo Piglia (literatura) (*)
O desaparecido ou Amerika, Kafka (literatura) (*)
Um médico rural: pequenas narrativas, Kafka (contos: O novo advogado; Um médico rural; Na galeria; Uma folha antiga; Diante da lei; Chacais e árabes; Uma visita à mina; A próxima aldeia; Uma mensagem imperial; A preocupação do pai de família; Onze filhos; Um fratricídio; Um sonho; Um relatório para a Academia – tradução e posfácio de Modesto Carone)
Novelas exemplares, Cervantes – leitura incompleta
O desconhecido, Lúcio Cardoso
A guerra não tem rosto de mulher, Tsvetlana Aleksiévitch
O pano do diabo, Michel Pastoureau
Viagem à roda do meu quarto, Xavier de Maistre
Conversações, Gilles Deleuze
A Vênus das Peles, Leopold von Sacher-Masoch
Teoria King Kong, Virginie Despentes
Narrativas do espólio (1914-1924), de Kafka (contos: O mestre-escola da aldeia; Blumfeld, um solteirão de meia-idade; A ponte; O caçador Graco; Durante a construção da muralha da China; A batida no portão da propriedade; O vizinho; Um cruzamento; Um confissão cotidiana; A verdade sobre Sancho Pança; O silêncio das sereias; Prometeu; O brasão da cidade; Posêidon; Comunidade; À noite; A recusa; Sobre a questão das leis; O recrutamento das tropas; A prova; O abutre; O timoneiro; O pião; Pequena fábula; Volta ao lar; A partida; Advogados de defesa; Investigações de um cão; O casal; Desista!; Sobre os símiles – tradução e posfácio de Modesto Carone)
Variações em vermelho, Rodolfo Walsh (Daniel Hernandez)
Sacher-Masoch: o frio e o cruel, Gilles Deleuze

2015, daqueles que eu me lembro de ter lido) 
Mrs Dalloway, Virginia Woolf
49 contosTennessee Williams
Poética, Ana Cristina César
Khadji-MuratTolstoi
O carderno rosa de Lori LambyHilda Hilst
Poemas malditos, gozosos e devotos, Hilda Hilst
Sexo sombra, Maurício Salles Vasconcelos
Pensamento em imagens: montagens topo-lógicas no claustro de Moissac, de Maria Cristina Correia L. Pereira (História das imagens; História da arte medieval)
Fausto (1 e 2), Goethe (literatura)
O processo, Kafka (literatura)
A câmara clara, Roland Barthes
O prazer do texto, Roland Barthes
A preparação do romance, v. 1, Roland Barthes
Diante da imagem, Didi-Huberman
O que vemos, o que nos olha, Didi-Huberman
A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas Aby Warburg, Didi-Huberman
A pintura encarnada, seguido de A obra-prima desconhecida de Honoré de Balzac, Didi-Huberman
Histórias de fantasmas para gente grande, Aby Warburg

(2014, 2013, 2012, 2011 - na Florestan, só isso)
Petersburgo, Andrei Biéli
Poesia toda, Herberto Helder
Cujo, Nuno Ramos
O filantropo, Rodrigo Naves
Correspondência de Abelardo e Heloísa
Educação e emancipação, Adorno
Monsieur Teste, Paul Valéry
Teatro completo (dois dos vários volumes), Brecht
Um homem: Klaus Klump, Gonçalo Tavares
Pequenos burgueses, Carlos de Oliveira
Saara de vento, Manuel da Fonseca
Beijo na boca e outros poemas, Cacaso
Viagens na minha terra, Almeida Garrett
La literatura nazi en América, Roberto Bolaño
Boquitas pintadas, Manuel Puig
Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado (releitura que vale como primeira leitura)

Lembranças